quinta-feira, 20 de maio de 2010

A ESCADA

Como está sendo difícil caminhar, nada que penso e tento fazer se realiza como encontrar respostas para tantas dificuldades, trabalho honestamente e não consigo conquistar meu espaço entre muitos iguais a mim, me falaram que talvez fosse o motivo de que eu viva pensando só em bens materiais e esqueço de agradecer ou me afasto de Deus, mais como afastar dele se eu sempre procuro fazer com que meus esforços chegue além do que eu posso, esses dias mesmos estava passando frente a um supermercado e sentada sobre o meio fio uma mulher com uma criança de uns dois anos ainda em seu colo pedindo ajuda para adquirir um litro de leite para o pequeno que agoniava em seus braços reclamando por estar com fome, e eu não podia passar diante aquela sena e fazer de conta que nada estava acontecendo, lembrei que Sr. Antunes havia me mandado fazer um pagamento em uma casa lotérica bem aqui perto, depois de efetuar o pagamento da tal fatura sobrou alguns trocados que eu conferi e com aquela quantia daria para fazer o desejo daquela mãe, conversei humildemente com ela e quis saber o porque daquela vida tão sofrida, o porque não procurar ajuda em um lugar mais apropriado,como assistência social ou até mesmo o nosso prefeito que e um cidadão de bem e muito católico,a principio não quis acreditar quando ela olhando em meus olhos disse-me já procurei por todos e ninguém quis ouvir meus sussurros de dor, se quer me ofereceram algo para meus filhos, Perguntei filhos? Quantos são? Ela falou esse e uns dos caçulas têm mais quatro acima desse, e eu procuro fazer de tudo para conseguir qualquer coisa para que eu possa levar para casa, Eu perguntei se não tinha um esposo, um companheiro... Sei La um alguém que podia apóia – lá, disse-me que perdera o marido em um acidente de transito ele que trabalhava como caminhoneiro numa empresa de renome, Perguntei mais essa empresa não passou a você os direitos legais que teu marido tinha? Ela falou depois que aconteceu essa fatalidade eles os patrões esqueceram se de nós, a principio prometeram ajudar-nós o que fosse preciso, andaram me enviando alguns remédios e roupas para as crianças e sumiram, já procurei meus direitos frente a muitas autoridades mais todos alegam que não tenho direito de receber nem uma quantia pelos tempos de serviço do meu finado Ismael, pedi para que ela me aguardasse um pouco que já voltaria com o leite, ela sorrindo falou Deus lhe pague, e sai ao entrar notei que diversas pessoas me olhavam como se eu estivesse feito algo diferente com aquela mãe que em prantos sentada ali permaneceu, andei ate a prateleira onde eram estocadas inúmeras caixas de leite, lembro-me que poderia comprar quatro caixas com o troco do Sr Antunes, sem mesmo preocupar-me que talvez pudesse ser chamado a atenção por ter gastado aquela quantia a favor de uma mãe necessitada, passei pelo balcão paguei o valor devido, e retornando ate aquela pobre mãe que desde que há vi meu sentimento de piedade falou mais alto, ela estava já degustando um pedaço de pão que alguém dera a ela, possivelmente essas madames que acha que qualquer coisa que fizesse estava fazendo o bastante, ajoelhei frente a ela e disse olhe consegui estas quatros caixas acho que você já pode sair dessa calçada e ir ate sua casa e preparar algo para você e teus meninos, ela pegou em minhas mãos e disse meu bom homem você hoje foi o corrimão mais forte acho que já posso mesmo subir essa Escada que estava tão difícil, preciso e muito agradecer ao bom deus que ele lhe de em dobro tudo que me fizeste nesse dia de hoje, ainda ajudei-a levantar-se dali, colocando as caixas de leite dentro de um carrinho desses que usamos para carregar nossos bebes , este que parecia suportar só mesmo o peso daquela criança, esperei que saísse e olhei para as lindas nuvens azuis do céu e agradeci, senti que aquela pessoa podia ter sido enviada ate a mim para que eu percebesse que existia pessoas muito mais Necessitadas do que eu, então para que eu reclamaria de tudo que havia conseguido, retornei para transportadora Help Transportes, onde eu apesar dos meus vinte e dois anos era encarregado do setor de carga e descarga de mercadorias vinda de todos os lugares, inclusive do exterior, confesso que naquele final de expediente foi difícil para mim,pois já havia sido chamado a atenção pelo que eu já esperava, Sr.Antunes me deu o maior sermão pelo fato de eu desviar alguns trocados para ajudar aquela mãe que tanto sofrimento me contara, eu que tinha liberdade de ir e vim dentro da empresa procurei saber com Lisa Bethe, ela que era chefe superior do nosso departamento pessoal que esclarecesse qual as providencias a serem tomadas pela minha família caso eu viesse a falecer de uma hora para outra, ela meio espantada disse credo Ralf que conversa e esta, expliquei o que havia me acontecido horas atrás e então me sentia meio leigo em que fazer, Ela hora todo funcionário tem um histórico dos teus dias, e horas extras registradas, assim facilita se caso aconteça alguma coisa com o titular no caso você, Eu...Hum então e assim que funciona NE, Ela e assim mesmo Ralf mais alguma curiosidade, Não...Não muito obrigado, voltei ao galpão central onde diversas carretas e caminhões eram carregados de soja estes que iriam ser descarregados no porto de Santos rumo ao mercado Frances, ao findar do meu expediente depois de registrar minha saída segui em direção a casa de minha mãe Dona Margarete ela que morava no jardim dos palmares não muito longe de minha casa, antes passei em um caixa eletrônico de onde pude retirar uma quantia razoável, seguindo meu trajeto como todos os dias, maravilhando-me com um lindo por do sol este que escondia sua beleza atrás das enormes castanheiras, sabia que eu ainda precisava fazer alguma coisa antes de encontrar mamãe onde iria receber e ofertar um forte e gostoso abraço, parei próximo a uma pracinha onde diversos garotos jogavam futebol, e eu que sempre Fui um amante desse esporte resolvi perder alguns minutos maravilhando com as lindas jogadas oferecidas pelos jovens, sem ao menos perceber senti que algo me puxava pela perna, ao olhar me surpreendi com um garoto de uns seis a sete anos, este que me falou tio muito obrigado viu, e soltando-me foi saindo, e eu gritei ei garoto... Garoto espere ai, e segui com passos largos, pois ele correu em direção ignorada e de difícil acesso, mesmo assim rodeando uma quadra onde separava a minha distancia daquela pequena criança, está que a me ver sorriu e abaixando-se entre uma linda moita de floreiras esperou minha chegada, para minha surpresa estava ali aquela que recebera minha ajuda, ela que segurava como antes o pequeno bebe, eu perguntei ei não foste para casa?Ela disse-me estou em casa! Fico e aqui mesma olhe ali ainda restam três caixas do leite que me deu Sem querer acreditar no que meus ouvidos acabaram de ouvir perguntei... Você mora assim ao relento, sem ter um cobertor ou algo para aquecê-la a ti e as crianças? Ela falou-me, pois e meu bom homem, hoje está fazendo exatamente uma semana que vivemos aqui, a casa onde morávamos era de aluguel que meu finado tinha alugado com o seu eis patrão, sem ter dó de mim e dos meus filhos jogou-me na sarjeta, quis saber assim você não pode ficar eu vou ter que fazer alguma coisa espere-me aqui mesmo, porque ele chora, ela respondeu esse e o Thiago ele só tem sete anos e hoje ainda não comeu um pão se quer só mesmo o leite que você nós deu, Juro que meu coração quis parar mais algo lá de cima me fortaleceu, respirei profundamente e tirando uma nota razoável que daria para comprar um lanche farto e entreguei a criança que humildemente abraçou-me e senti um carinho enorme após receber um beijo em meu rosto, sentando-me em um banco próximo perguntei a mim mesmo e agora o que fazer? Eu e minhas realizações sem sucesso... Mais podia estar ai a chance de conquistar de vez a minha própria confiança em mim mesmo, uma das pessoas que me olharam quando comprei as caixas de leite passava no momento, e como antes me olhou como se eu tivesse planejando em roubar a criança dos braços daquela mãe, e não e de ver que teve a cara de pau de perguntar se eu estava querendo levar aquele bebe, ou querendo comprar, minha resposta foi estúpido e grosseiro o que me fez revoltar com a quantidade de pessoas que aglomeraram para ver minhas ofensas a pessoa que me fez uma pergunta idiota, e subindo-me sobre o banco falei em voz alta, que todos puderam ouvir claramente o que eu estava fazendo ali sentado e pensando o que eu poderia fazer para ajudar ainda mais aquela mãe e teus filhos, uma senhora que ouvindo meus lamentos aproximou-se de mim e perguntou-me o que poderia ser feito para ajudar-me, olhei em teus olhos e disse minha amiga não sou eu que necessito de ajuda mais sim aquela mulher e teus filhos, observe-se que este não e um lugar apropriado para uma mãe cuidar de teus filhos, esta mesma senhora falou-me e já tem uns dias mesmo que passo aqui e vejo-a ai com essas crianças, Eu perguntei e a senhora não fizeste nada nem mesmo uma migalha de pão ofereceu? No mesmo instante a senhora afastou-se de mim, pedi para que ela e tuas crianças ajuntassem o que ainda pertenciam a eles e disse, vou levá-los a um lugar digno de se viver, a mulher perguntou-me senhor onde quer que eu vá? Disse mulher não te preocupe, pois não sou pior do que aqueles ali que nada fizeram, assim que arrumaram os poucos pertences pedi para que um taxista nos levasse ao bairro Jardim dos Palmares.
Eu quis saber das outras crianças, ela respondeu comigo está este ai o Thiago e o caçula Daniel, o Rodrigo a Pâmela e Vanessa estes estão com minha irmã, ela juntamente com meu compadre tem condições melhores que as minhas e são casados recentemente e acolheram minhas crianças, Thiago está com sete anos, este aqui tem dois anos e meio e o Daniel, Rodrigo está com dez anos, Pâmela tem treze e Vanessa completou ontem dezesseis anos, falei nossa que família grande heim mulher!Eu queria evitar mais meu finado sonhava alto e tinha certeza de que tudo se realizaria muito bem, estávamos construindo nossa casinha perto do laticínio, mais com a obra de pavimentação feita pela prefeitura tivemos que aceitar o pouco que nos ofereceram, na época dizia que iriam nos abrigar em outra moradia, mais até hoje nada, sumiram todos e hoje me encontro nas calçadas, falei calma você já não estas mais ao relento depois de andarmos pela cidade chegaram ao Jardim dos Palmares onde mamãe me esperava, pois todos os dias era certa da minha passagem ali antes de ir para casa, eu que tinha poucos meses de casado tinha uma esposa muito humilde e carinhosa em tudo que se referia a mim e apoiava-me em quase tudo, digo quase tudo pois ela as vezes descordava de algumas atitudes minhas iguais as que cometi semana passada quando comprei um belo apartamento no centro da cidade, sendo que meu sogro havia presenteado-me com uma linda casa onde segundo ele a filha fora criada,chegando frente a casa de mamãe está que já estava meio apreensiva com minha demora e sentada no mesmo banquinho de sempre encostada numa palmeira, ao perceber que comigo havia mais pessoas, veio em nossa direção e sem perguntar muito nós convidou a entrar, Thiago abraçou-a e perguntou ela e minha avó?Olhei para mamãe está que disse sim sou sua avó! Thiago comemorou como se estivesse feito o gol mais bonito de todos, primeiro pedi a benção e convidei aquela mulher que aparentava ter seus quarenta e oito anos, de pele morena e de olhos verdes claros, com o bebe ainda em teus braços agradeceu o convite e entrou, pedi para que esperasse um pouco até que eu explicasse tudo para mamãe, eu que era o único filho e morei sempre com ela, após papai sofrer uma cirurgia veio a falecer há uns três anos atrás, entramos e fomos direto para a área onde tinha uma gostosa rede colocada ainda por mim nos dias que estive ao lado de mamãe, sentamos no nosso assento preferido em um banco feito a mão por papai de uma madeira chamado cedro, e expliquei tudo que me acontecera naquele dia, mamãe compreendeu minha atitude e gesto, pois ela sempre me falava que somos responsáveis pelos nossos degraus e se a Escada fosse longa ela seria sempre o meu corrimão, então ela não iria desfortalecer naquele momento, falei mãe e por pouco tempo aqui poderemos fazer algo para essa família, afinal eu me lembrei dessa casinha dos fundos onde minha querida bisavó morou, então será um bom lugar para que eles não passem frios e fujam das chuvas, mamãe disse tudo bem meu filho se você quer assim, assim será estou do seu lado e terei companhia afinal passo o maior tempo sozinha mesmo, vá convide-os a entrar, eu que havia se esquecido de pagar a corrida o taxista sai desesperado, ao chegar ate o portão pedi desculpas ao motorista quitei minha divida com ele e agradeci, pegando o caçula Daniel em meus braços falei sejam bem vindos a nossa casa que agora passa a ser de vocês também, tanto a mulher como o filho choraram juntos e seguiram-me.

A mulher educadamente pediu licença ao entrar pela porta da sala, fato este que me chamou há atenção pela sua simplicidade, não só ela mais os dois filhos exalavam aquele odor de suor devido às condições em que se encontravam, pedi para mamãe preparar uma farta refeição afinal Thiago estava faminto percebi, pois o mesmo já havia apanhado uma linda fruta de uma goiabeira e degustava desesperadamente, isso mexeu não só comigo mais com mamãe que presenciou a sena, aproximei daquela mulher que para mim ainda era uma simples mãe, e pedindo para que me identificasse, como se chamava, de onde era se ainda tinha alguns parentes naquela cidade, olhando-me falou bom sou Fernanda Gonçalves, tenho quarenta e sete anos, e vim do Pará de Minas, aqui só resta a Emanuela minha Irmã e teu esposo, estes são os parentes mais próximos de mim, acompanhei meu finado Ismael que dizia que aqui agente poderia sair daquele sufoco, onde mal ele conseguia emprego e eu com todas essas crianças não tinha condições de ajudá-lo, eu que tive uma boa educação consegui fazer até o segundo ano de advocacia, curso esse que meu padrinho Aristeu custeava, mais a infelicidade parece morar em mim, pois padrinho partiu deste mundo ainda muito jovem depois de sofrer um ataque cardíaco e sinto-me agora sem saída, sem rumo, sem coragem para aceitar o que estou vivendo, Falei calma Fernanda tudo vai se ajeitar olha essas peças de roupas tanto suas como dos meninos, você retira as mesmas dessa sacola deixe-as ali perto da área de serviço, que mamãe ajudara você na lavagem das mesmas, pegue o bebe e juntamente com eles siga-me vou levá-los aonde vocês irão morar ate quando agente poder resolver essa situação doentia da qual acho eu que você não e merecedora ,pois não e tão mal assim, depois que atravessamos um pequeno corredor este que levava ate a casinha dos fundos, pegando umas chaves e abrindo a porta esta que a tempos não era aberta fez aquele barulho de ranger, mesmo assim pude ver o sorriso e a felicidade No rosto daquela mãe, que parecia ter ganhado o melhor premio de sua vida, disse entrem sejam bem vindos, olhe Fernanda aqui e um banheiro onde poderá banhar teus pequenos e a ti mesma, uma boa água quente, este quarto aqui pode ser dos meninos, pois ainda restam mais dois cômodos onde estão divididos em quarto e sala, olhe esses moveis que aqui estão de agora em diante em quanto aqui estiverem serão de uso exclusivo de vocês, olhe só que conzinha arejada, há quantos pãezinhos de queijo comi, feito pela bisa nesse fogão a lenha, ele tem um ótimo forno, ela pegando em minhas mãos disse-me olhe sou uma especialista em pães de queijo farei os mais deliciosos que comera em sua vida, falei isso e bom ... Muito bom, e sai dizendo que voltaria em minutos de onde traria comigo alguma toalha e umas peças de roupas de Soraia esta com quem me casei, ela que havia deixado aquelas roupas justamente para mamãe doar a alguém, quando retornei encontrei Thiago com uma vassoura em tuas mãos este que retirava algumas folhas que caíram com o passar do tempo, e Fernanda já banhava o pequeno Daniel, disse alô... Oiêê posso entrar, ela colocando teu rosto porta afora me disse quem sou eu para proibi-lo de entrar e sorriu, coloquei tanto a toalha como as peças de roupas que minha esposa havia doado para mamãe repassarem a alguém, e eram muitas, no momento em que mamãe trazia com sigo uma linda toalha para ser colocada sobre a mesa e pedindo-me para ajudá-la a buscar uma refeição digna de uma família como aquela senti, meus sentimentos serem fortalecidos, parecia que algo em mim estava preenchendo algum vazio de antes e a alegria me fez esquecer até mesmo de Soraia que a está hora já estava em casa ela que era funcionaria de uma agencia bancaria no centro, pedi para que mamãe ligasse em casa avisando que eu demoraria um pouco, mais está disse-me filho acho melhor você ir até a sua casa, pois seria muito ruim ter que explicar para Soraia o que fez com que você demorasse não e mesmo, Falei correto mãe, vou agora mesmo, ela falou filho deixe comigo farei tudo que estiver não só ao meu alcance mais ao teu também, agradeci e antes avisei Fernanda e Thiago este que mais uma vez me agradeceu e ofereceu-me o mesmo beijo carinhoso de antes, já era por volta das dezenove horas de uma sexta-feira onde parecia oferecer um gostoso final de semana, não demorei chegar em casa, as luzes da área ainda apagadas fato este que me fez apressar meus passos, será que havia acontecido algo, ou Soraia ainda não estava em casa, abrindo o pequeno portão de minha bela casa entrei e fui recebido por Rex nosso cão de estimação, com o latido comprido parecia dizer me algo, abrindo aporta antes deixei que a claridade da lua entrasse primeiro e chegando junto ao disjuntor este que ficava atrás da porta da sala, acendi as luzes e no mesmo instante ouvi o ruído fino do nosso telefone chamar desesperadamente, corri ate a sala esta que era enorme onde acolhia só a mim e Soraia, disse alo do outro lado alguém disse e o Sr.Ralf confirmando respondi sim o que posso ser útil! Olha senhor aqui e do hospital Nossa Senhora da Guia e há poucos instantes dera entrada aqui na nossa u.t.i a senhora Soraia Nazaré e encontramos junto com teus documentos esse numero que dizia qualquer coisa de anormal comigo avise esta pessoa, então e o que estamos fazendo o senhor e algum parente dela?Alô... Senhor ainda esta ai? Sem querer responder disse sim... Sim estou aqui o que houve com minha Soraia sou esposo dela, por favor, o que houve? Calma senhor ela ficara bem, assim que saiu do trabalho foi assaltada frente a agencia onde trabalhava, pois segundo as informações ela foi confundida com outro funcionário que levava os malotes contendo alguns documentos em moeda local, tentando correr foi atingida por uma bala mais está em boas mãos e nesse momento passa por uma cirurgia, fique calmo, Como eu ficaria calmo naquela hora e voltei a pensar como no principio de tudo será que e Deus que me prova de alguma coisa?Porque eu? Tudo estava tão bem, e agora o que faço? Ate parecia que eu sabia que algo aconteceria, pois ao sair da casa de mamãe disse que até parecia que seria um gostoso final de semana, o meu pai do céu e agora?Fui confortado pelos carinhos de Rex este que também percebeu algo estranho naquele inicio de noite, está que ate minutos antes ofertava muita beleza com o luar onde as estrelas faziam teu show, bem que mamãe pediu para que eu viesse até aqui em casa, será que ela também pressentiu alguma coisa.
Pensei onde encontrar coragem agora para avisar mamãe, ela que estava oferecendo carinho e abrigo para aquela família que agente acabara de acolher em casa, bebi um pouco de um suco ainda feito na manha de hoje por Soraia, lembro agora e ainda sinto o beijo suave que me ofereceu antes de sair, e aos meus ouvidos falou amo-te hoje e sempre, nunca estarei longe daqui mesmo que alguém queira, ainda brincou com Rex como se fosse nosso bebe, falou coisa linda da mamãe cuida bem do papai, e saiu olhando para trás sorrindo, mais não era o mesmo sorriso de antes, será que ela estava despedindo-se de mim, nesse momento entrei em desespero onde as lagrimas tomaram conta do meu rosto seria esta a Escada mais difícil de vencê-la, não enfraqueci, pois tinha certeza de que os corrimões eram resistentes e poderia ainda achar forças para enfrentar mais essa prova, mais prova do que? Porque tudo estava sendo esclarecido de um lado e do outro era só fracasso e perdas? Resolvi sair em busca de noticias de Soraia, eu que usava o carro só em caso de urgência neste dia até isso me esqueci de fazer, e usando novamente outro taxi segui em direção ao hospital.
Enquanto isso na casa de mamãe tudo foi ajeitado com carinho, onde Fernanda e teus filhos já haviam degustado um bom jantar preparado por mamãe está que ainda conversava com aquela mulher que lhe havia trago companhia onde ambas puderam comentar um pouco de suas vidas, Thiago que há tempos não curtia um bom desenho estava frente à TV sem mesmo piscar teus lindos olhos esverdeados, já o pequeno Daniel descansava dos dias e noites sofridas na calçada e dormia igual um anjo, as horas foram se passando e eu dentro de um hospital ainda sem ter uma noticia que poderia trazer-me a certeza de que tudo estava bem com minha Soraia, tentando ler alguma revista encontrei um livro escrito por Alan Kardec onde pude encontrar um pouco de alivio para a minha agoniada vida naquele momento, onde dizia que nem um ser vivo será capaz de vencer teus ideais sem teus merecimentos, foi ai que me confundi... Merecimentos... Como assim não entendo e continuei a leitura que me fez parecer voar dentro do próprio versículo que eu lera naquele momento, e senti ser amparado por um espírito todo em branco segurando minha Soraia, em teus braços, assustado me reencontrei, pois minutos antes parece ter saído de mim mesmo, e ofereci a oração do pai nosso esse que minha mãe tantas vezes oferecia em casa em suas rezas de terço ao imaculado coração de Jesus.
Sem perceber peguei no sono ali mesmo naquela sala de espera em um sofá onde meu corpo doía pelo mal conforto, e pude de imediato vivenciar um pouco do que passara Fernanda e teus meninos,fui despertado as cinco horas de um sábado onde o sol dava a graça de sua beleza através das vidraças, uma chefe de enfermagem por nome Iracema aproximando-se de mim perguntou se poderia ajudar em alguma coisa, disse olha estou aqui sem ter noticias de minha esposa desde ontem, e ninguém revelou algo para mim sobre as condições de saúde dela, Nisso a enfermeira pediu-me desculpa,pois começara seu turno naquele dia e pensava que eu estava ali a poucos minutos aguardando atendimento, perguntou-me o nome de minha esposa após identificá-la a mesma verificou o prontuário de entrada dos pacientes que chegara naquela u.t.i na noite interior representava um quadro de saúde estável principalmente minha Soraia, para meu alivio,pude pensar melhor e em tudo que me rodeava, e a todo instante eu só queria agradecer, caminhando em um corredor enorme e passando frente a um berçário meu coração encheu de esperança e paz pois era meu maior sonho juntamente com Soraia em ter lindos bebes iguais os que meus olhos registrara naquele instante,chegando a uma pequena capela esta feita em homenagem a Nossa Senhora das Graças, entrei onde já se encontrava algumas pessoas meditando e agradecendo por algo como eu, pude refletir toda minha vida, meus dias, minhas noites, minha mãe, amigos e agora aquela nova família que eu tanto ajudara, depois de agradecer, segui ate a entrada principal onde pude encontrar a disposição um telefone publico, quis fazer uma ligação para avisar mamãe, mais algo soprou em meus ouvidos dizendo aguarde um pouco mais, Pensei comigo aguardar o que? Quem poderia estar envolvendo-se nas minhas dificuldades desse momento que não esteve ou estiveram presente nessa minha caminhada, retornei a sala de espera onde Iracema ofereceu-me um delicioso café, acompanhado com alguns quitutes tragos por ela de sua casa, está que me confortou dizendo vim agora da u.t.i e acho que sua esposa ainda hoje vai ser transferida para um quarto, noticia está que encheu meu rosto de felicidade, quando sentei em uma poltrona mais retirada da sala estava ali em um canto, um homem de cor clara, olhos esverdeados percebi que era trabalhador pelo fato que ao cumprimentá-lo senti os calos de suas mãos, o pouco que falamos percebi que ele olhava para mim como se estivesse agradecendo por algo que eu pudesse ter feito a ele, quis saber se estava esperando também alguma noticia de um amigo, ou parente, foi quando ele disse-me não... Não estou aqui mesmo só para ajudar um amigo que muito fez por mim e devolver a ele a alegria, e sou muito grato por tudo que ele me fez ate agora, Eu falei que legal muito bom mesmo, eu estou aqui... Ele me interrompeu dizendo eu sei o que te trouxe aqui, mais fique tranqüilo tudo será resolvido a seu favor,pois já e um merecedor continue assim de agora em diante e verá que tudo será como sempre quis, tente ser sempre humilde,amoroso e não esqueça de tuas orações, quando eu ainda meio confuso estava pronto para perguntar o seu nome Iracema chamou-me, e saindo deixei aquele homem que juro nunca tinha visto e nem o conhecia, antes voltei para pedir que esperasse para que pudéssemos conversar mais um pouco, para meu espanto e susto o mesmo não se encontrava mais ali a não ser um forte cheiro que lembrava muito Éter.
Ela sorrindo disse-me esta pronto para ver sua esposa, respondi desde que cheguei aqui ontem, vamos estou louco de saudades de minha Soraia, ela falou então me siga ela está no quarto 1345, do segundo andar usando o elevador rapidinho estaremos frente sua esposa, e realmente chegamos rápido, ao entrar pude ver aquele rosto tão lindo ainda com teus olhos fechados repousava respirando o mais puro oxigênio da vida sentei-me ao lado de sua cama e acariciei, teu rosto como estava um pouco pálida, Iracema disse-me e porque ela perdeu muito sangue e ainda passou por uma cirurgia delicada, mais conseguimos salva-la, agradeci e falei ainda bem porque não saberia viver sem ela, confiante que agora estava tudo bem perguntei a Iracema se eu poderia avisar minha mãe e gostaria que alguém acompanhasse Soraia na minha ausência, ela disse-me sem problemas afinal sua esposa ainda vai demorar um pouco para acordar pois ainda esta sob o efeito da anestesia, vez enquanto eu passo aqui vá despreocupado continuei agradecendo a Deus esse que muitos falaram-me que eu havia abandonado e agora percebia realmente que e o maior homem do mundo, fui direto para casa era por volta já das onze horas daquela manha de sábado onde o sol comandava qualquer escuridão, ao chegar frente ao meu portão Rex estava deitado e agora latia como antes e brincava muito com minha chegada, coloquei um pouco de ração e água este que parece ter agradecido porque o coitado ate engasgou-se, pensei comigo a gente as vezes esquece daqueles que sempre estão ao nosso lado, e prometi a mim mesmo que faria tudo diferente daquele dia em diante, tomei um bom banho, inventei em fazer um café, ate que este saiu legal, pois quem sempre preparava o mesmo era Soraia, mais para mim que estava louco por um cafezinho ate que foi agradável, apanhei alguns biscoitos e sentei-me em meu sofá e comecei a fazer uma reflexão de tudo que havia me acontecido nesta minha vida desde o inicio de tudo, e realmente cheguei a uma conclusão de que Não Poderia eu ficar choramingando pelos cantos, pois eu tinha conquistado muita coisa nesta minha vida, então para que viver de reclamações, ainda quando viajava pelos meus pensamentos ouço o som da campanhia de meu telefone que desta vez soou mais suave, alô quem fala? Oi filho sou eu... Ei mãe tudo bem ai e Fernanda e as crianças, ela disse estão bem, Fernanda já lavou todas as roupas inclusive as minhas, e Thiago já capinou o quintal e disse que ira plantar legumes, está muito feliz, e Daniel Zinho brinca com Lilica pela casa fora, muito bom mãe olhe vou passar ai daqui a pouco e estarei levando alguns mantimentos para a nossa nova família, ela disse precisa não já fomos no mercadinho do Sr Miguel e compramos tudo que necessitava só o leite que Fernanda disse não precisar pois me contou toda a historia e disse que as caixas existentes ainda fora as que você deu a ela, fiquei muito emocionada meu filho por isso, obrigado mãe, mais ontem passei por um grande susto com Soraia, que foi filho? Olha mãe assim que estiver ai contarei tudo a você ta tudo bem filho vem com Deus, há mãe não esquece que Lilica ainda não e vacinada viu, esta bem filho pode deixar, tchau meu filho, bênção mãe ate daqui a pouco, Lilica e uma gata desse tipo sianes que mamãe ganhou de uma amiga da igreja e antes da chegada de Fernanda era sua companheirinha, após passar em uma livraria já quase perto da mesma praça onde encontrei aquela mulher e teus filhos, veio-me a lembrança do meu gesto e não me sentia grande por ter agido daquela forma, simplesmente quando queremos ajudar alguém ajudamos sem pensar em recompensa alguma, observe comigo, será que minha Soraia estaria aqui para que eu pudesse abraçá-la? Será que não seria esta minha missão naquele dia e recebi a graça não a meu favor mais sim a favor da pessoa que tanto amo, e volto a repetir quero e muito agradecer tudo que tenho conseguido neste plano físico que meu criador ofertou-me muito obrigado meu bom Deus, e segui caminhando, pois a casa de mamãe não ficava nem dois quarteirões longe da minha, ao chegar frente ao portão da casa de minha mãe está que estava com o pequeno Daniel em seu colo e juntos vieram me receber, e logo em seguida Thiago dizendo ei tio você demorou heim, falei e tio passou por um momento muito delicado ontem, vamos entrar filho venha, Fernanda está acabando de limpar a casa eu disse que não precisava ,pois Romilda vem duas vezes por semana,e precisa ver só a faxina que ela deu na casa do fundos está um perfume só, que bom mãe que está feliz e eu fico mais feliz ainda, quando sentei-me para saborear um ardor de um verdadeiro café feito por mamãe Fernanda surgiu entre uma cortina dessas que se abrem ao meio, vestida com um lindo conjuntinho que Soraia adorava e estava linda com teus cabelos encaracolados, não vistos por mim antes, esta que veio até a mim dizendo olha Sr Ralf teus pãezinhos de queijo ao cair da tarde estarão prontos pode vim tomar um lanche em minha casa juntamente com sua esposa tudo bem...Mamãe notando que eu escondia algo sentou-se ao meu lado e falou filho conte me o que esta acontecendo, respondi acontecendo não mãe aconteceu, fale menino não me deixa ansiosa, olha mãe ontem depois que sai daqui chegando em casa tudo estava a escuridão, o que me chamou a atenção foi a forma que Rex reagiu ao me ver latiu como se estivesse chorando igual um lobo furioso, quando estava dentro de casa recebi uma ligação avisando que Soraia havido sofrido um assalto e estava internada na u.t.i, no hospital Nossa Senhora da Guia, ela que fora atingida por um disparo ao tentar correr do assalto, e estava passando por uma cirurgia, mãe no momento eu não sabia o que fazer quis te avisar mais Algo não sei quem e nem de onde me proibiu que realizasse a tal ligação, respirei um pouco e fui direto para o hospital onde passei a noite a espera de uma resposta qualquer,resposta esta que vim a ter só ao amanhecer, filho do céu como ela está? Bom mãe esperei que ela saísse da u.t.i para um quarto onde pude vê-la e ela graças a Deus está bem, pedi para uma chefe de enfermagem olhar ela para que eu pudesse vim em casa tomar um banho e avisar a senhora, preciso voltar daqui a pouco, por isso Fernanda teus pãezinhos ficara para próxima ta, tudo bem Sr Ralf se precisar de mim para qualquer coisa estarei a sua disposição, te agradeço mais você já tem muito no que pensar e fazer, mesmo assim te agradeço muito, olha Fernanda você não tem nem um documento ou algo parecido que possa identificar quem era teu marido? Sr Ralf tenho aqui comigo uma foto e uns documentos que eu antes estava usando tentando receber alguma coisa e também tenho o atestado de óbito, posso dar uma olhada? Claro vou pegar e já volto, saiu deixando o pequeno Daniel brincando com Thiago estes que estavam encantados com uns bonecos feitos por mamãe tudo sobra de retalhos mais que agradavam aqueles pequenos que pareciam nunca ter brinquedos alguns e a felicidade em teus rostinhos era vista de longe, ao perguntar se ambos estavam com fome fiquei feliz com a resposta de Thiago credo tio estou com a barriga estourando a vó oferece tantas coisas gostosas que agora só mesmo o lanche da tarde, não demorou para que Fernanda trouxesse os papeis, comecei a ler e quando olhei para foto esta que era uma das mais recentes fiquei espasmo, meio que fora de mim por instantes, pedindo um copo com água para mamãe ela que assustada quis saber o que houve meu filho, e eu com a foto na mão veio em lembrança do homem que encontrara no hospital, onde me dizia que estava ali simplesmente para devolver a felicidade de quem o ajudara e muito, agora compreendo que na hora em que estava lendo aquele versículo do livro de Alan Kardec onde pude ver nitidamente um espírito todo em branco onde carregava minha Soraia em teus braços nada mais era o finado Ismael retribuindo tudo que eu fizera para sua família, e agora preciso e muito procurar algum lugar para relatar tudo que me aconteceu, depois de explicar para mamãe e Fernanda o que ocorrera quem mais lagrimas nos olhos demonstrou foi Fernanda, pois todas as características do homem com que eu falara no hospital era justamente o seu finado Ismael inclusive a cicatriz no queixo que ele supostamente conseguiu numa descarga de madeira no interior do Para.
Quando a calmaria tomou conta de nós agradeci pelo café e disse mamãe preciso ir entrarei em contato assim que estiver ao lado de Soraia, vá meu filho vá com Deus, tchau Fernanda, tchau Sr Ralf ela que ainda enxugava o rosto pelas lagrimas caídas, já era noite de sábado quando Soraia reclamou minha presença, eu que estava ali bem ao seu lado, e pegando em tuas mãos olhando em teus lindos olhos negros sorrimos juntos, no mesmo instante avisei mamãe que Soraia havia acabado de acordar e estava bem, para o alivio de mamãe que transmitiu minha alegria para nossa nova família, por volta das nove e trinta da noite o Dr. Onofre este que tinha feito a cirurgia de minha esposa chegou, apertou fortemente minha mão e disse-me olha agente fez o possível e o impossível para que ela pudesse estar nos ouvindo agora, mais para mim e toda a equipe as esperanças eram poucas, hoje temos a certeza que ela recebeu um grande milagre porque houve um momento que o aparelho de cardiograma este que controla o batimento cardíaco de um paciente em atendimento cirúrgico parou onde nossas esperanças de salva-la pareciam ter chegado ao fim, mais graças a força dela mesma em querer viver ai está, amanha poderá voltar para casa tudo bem querida, Soraia sorrindo e ainda meio fraca respondeu e o que mais quero, assim que o Dr. Onofre saiu fui até ao banheiro este que oferecia um enorme espelho fixado atrás da porta e olhando para o mesmo me vi acompanhado pelo espírito de Ismael sorrindo para mim e ao seu lado todos os filhos e esposa, este que deixando uma mensagem no espelho escreveu: “Lembre-se que tudo que fizeste não diretamente a mim mais aos meus pequenos e esposa, não teria como te pagar em vida, então com a permissão dos espíritos de luz pudemos retribuir o que fizeste a minha família devolvendo a sua”.
Diante de uma sena dessas como não deixar escapar algumas lagrimas pelo rosto?Retornei para o lado de minha esposa esta que perguntou primeiro de Rex e depois de mamãe e de seus amigos, disse que todos estavam bem e que rezaram muito por ela, depois de trocarmos alguns carinhos pudemos descansar as sete e trinta e cinco de uma manha de domingo onde o sol parecia ainda cochilar, pois as nuvens ainda o cobria recebemos com grande alegria que estávamos liberados para voltarmos para casa, eu que já havia avisado mamãe que levaria Soraia para sua residência, pois eu não poderia fazer companhia constante, porque o trabalho me esperava já no próximo dia, arrumamos poucas coisas que era pertence de Soraia e seguimos direto para casa de minha mãe, ao chegarmos pude carregá-la em meus braços cuidadosamente, Fernanda que havia arrumado carinhosamente o quarto onde colocou uma colcha que trazia os dizeres seja bem vinda e acredite em Deus, fato este que me encheu o coração de alegria e coragem, Fernanda que já viera com um copo com água e um anestésico e disse nossa Sr. Ralf quase que passa da hora você pode deixar que cuidarei desse lado direitinho, ao levantar a cabeça de Soraia e colocando o comprimido em sua boca juntamente com água, percebi que não havia tomado uma decisão errada em ajudar aquela mulher que agora carinhosamente oferecia cuidados a minha querida Soraia, ela que perguntou-me nossa querido quem e ela tão prestativa e gentil? Disse minha vida ela e uma pessoa que agora mora aqui com mamãe e durante o tempo que for necessário ela ficara aqui, olhe este e Thiago e aquela gracinha ali brincando com Lilica e o Daniel Zinho, ela falou que lindos olhos vocês tem, Thiago retribuiu o carinho oferecendo o mesmo beijo que me dera antes e senti Soraia fortalecer ainda mais.
Ao chegar ao meu trabalho com todos os documentos do finado de Fernanda, comecei vasculhar uns arquivos encostados em um cômodo e para minha surpresa depois de alguns minutos fiquei sabendo que era ali a tal empresa de renome que Fernanda me contara assim que a conheci, apanhei aquela papelada toda e fiz o que a empresa não fez a não ser abandonar aquela mulher, depois de procurar o Lazaro um amigo meu ele que era muito respeitado no quesito em contabilidade, pedindo-o para analisar aqueles papeis e colocar tudo expecificadinho para podermos recorrer e tentar receber o que era de direito daquela família onde os mesmos foram largados a mercê da miséria e fome, daquele momento em diante notei que em minha frente os longos degraus da minha Escada estavam sendo amparados por um largo corrimão e o final estava bem próximo, depois de dois dias tive a resposta do grande companheiro Lazaro de que a esposa do finado tinha o direito de receber uma quantia que daria para estudar todos os filhos e ainda viver por um longo tempo despreocupado e longe da miséria da qual sobrevivia mendigando pelas calçadas a fora, foi tanta alegria para mim que consegui chamar a atenção dos que me rodeavam no galpão da empresa, dias depois foi lavrada uma ação por um oficial de justiça junto à empresa que deveria repassar mais de oitocentos mil contos para a viúva Sra. Fernanda Gonçalves imediatamente, ao chegar ao conhecimento do Sr Antunes o cabeça de tudo tentou entrar com uma petição para recorrer da sentença, mais esta era irreversível, fato que a fez procurar pela pessoa citada na ação e eu fazendo de conta que não sabia de nada mais ouvia os lamentos daquele que me chamara à atenção por ter gastado um misero trocado seu para ajudar aquela que agora poderia ate comprar algumas ações suas, falei com Lisa Beth que conhecia perfeitamente a pessoa que eles procuravam, fui autorizado a levá-la ate a empresa onde foi recebida pelo Sr Antunes este que nem olhou para ela, mais isso não tinha Importância a importância mesmo foi o cheque que ele repassou para aquela pessoa, assim que ela saiu, e quando eu a acompanhava, Sr Antunes quis saber conhece essa mulher de onde Ralf, sorri com a pergunta e falei essa foi à culpada pelo sermão que o senhor me deu naquele dia que usei seu trocado para oferecer a ela o leite, mesmo contando a historia para o senhor me castigou fazendo com que eu pagasse então o que retirei do senhor aquele dia foi lhe devolvido, pois era teu então agora ela só veio buscar o que era dela não e mesmo ou o Sr vai falar que está errado, sem me responder nada pediu para que eu saísse, coisa que fiz com muito prazer, ate hoje ainda contribuo com meu trabalho para a empresa onde passei a ser sub-gerente financeiro e tendo ao meu lado agora a vice- diretora de transportes e advogada da empresa Dra Fernanda Gonçalves que passou a ter sessenta por cento da empresa do seu finado Ismael.
Com tudo resolvido Fernanda mesmo podendo agora morar ate mesmo no mesmo condomínio que o meu preferiu ampliar a casinha onde minha bisa morava e vive ate hoje com teus cinco filhos, hoje todos formados e donos de sua própria independência, minha Soraia deste a luz a um lindo menino onde fiz questão de homenagear aquele espírito que me dera à razão de viver pela Escada da vida Ismael Victor Victorio, mesmo com pouca dificuldade Soraia passou a comandar toda parte financeira da agencia em que trabalha.
Finalizando deixo aqui o exemplo de solidariedade faça, ajude, e acolhe a quem quer que seja, pois alguém La em cima iluminara os degraus de sua Escada como fizeste comigo fiquem na paz.

Gabriel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário